Advanced HDR: Com tantos formatos, o Advanced HDR da Technicolor parece ter sido esquecido

Com tantos formatos, o Advanced HDR da Technicolor parece ter sido esquecido

Uma simples atualização de software (firmware) de uma TV compatível iria disponibilizar o excelente Advanced HDR da Technicolor, mas não há sinal no momento de que isto irá acontecer tão cedo.

 

No final do ano passado eu comprei uma TV LG 65E7P para o meu uso pessoal. O aparelho incorpora os principais benefícios que me permitem avançar em vários tipos de observação de imagem, e uma impressionante lista de recursos que eu não imaginava ver incorporados em um aparelho de TV.

Já nesta época foi anunciado que a TV iria receber um novo formato de HDR, que leva o nome de Advanced HDR, com design da Technicolor:

 

Advanced HDR da Technicolor

 

O anúncio foi feito mundialmente, e espalhado por vários sites. Notícias recentes, como aquela comentada pelo site da C/NET, davam a entender que o novo formato estaria pendente.

Pendente, pode até ser, mas oficialmente disponível é outra estória. Então eu consultei este mês o suporte técnico do fabricante da minha TV, e obtive esta resposta:

Com base em seu relato, consultei nossa área técnica para obter mais informações de acordo com seu e-mail, no entanto não obtivemos nenhuma informação quando o aparelho irá receber essa atualização, bem como não há uma previsão para quando estará disponível.”

Sem querer me fiar cegamente no anúncio da C/NET ou qualquer outro deste tipo, em uma coisa eu posso concordar com eles: mais um formato HDR disponível, mas vai acrescentar o quê, diante de outros que já estão aí e fazem o mesmo efeito?

As atualizações de firmware sempre dão esperança de alguma coisa

A verdade é que o usuário que também é entusiasta de áudio e vídeo sempre compra um equipamento na esperança de vê-lo atualizado com as características técnicas prometidas pelo fabricante.

Logo que eu instalei a minha TV uma dessas atualizações introduziu um pré-ajuste de imagem com a chancela da Technicolor. E de fato o resultado foi impressionante, praticamente irretocável. E é por essas e outras que aparelhos calibradores de imagem acabam por se tornarem dispensáveis!

Tivesse havido a introdução do Advanced HDR, o que restaria saber é aonde nós iríamos vê-lo!

Notem que quase todos os formatos de HDR permitem uma série de recursos, os quais em última análise iriam tornar factível a transmissão de sinal HDR até mesmo no broadcasting, seja cabo, satélite ou canais abertos que usam a transmissão convencional.

Até agora, entretanto, eu estou no grupo daqueles que não viram nada disso no ar (sem trocadilho) a não ser nos serviços de streaming, e assim mesmo com restrições de conteúdo.

A contribuição do HDR na qualidade da imagem

Como eu só assisti imagens HDR, a maioria em formatos comprimidos, uma exigência do broadcasting, fica difícil estabelecer com 100% de certeza a contribuição efetiva da luminância produzida por qualquer um desses formatos.

Para mim, não há dúvida de que o aumento da faixa de luminância, principalmente com a contribuição do preto absoluto (ausência de iluminação) que se observa nas telas OLED, traz consigo uma notória realização da imagem real que é capturada.

O problema é sair do campo teórico e discernir se os diversos formatos de HDR oferecidos serão capazes de demonstrar alguma diferença importante no aprimoramento da imagem, quando comparados uns aos outros!

Neste momento, eu acredito que as diferenças, se existentes, não são de grande importância prática, o que significaria afirmar que neste tipo de imagem existe uma contribuição desnecessária para o inútil e que, no final, acaba trazendo uma confusão na cabeça do consumidor.

Claro que, na dúvida, o usuário final que quer qualidade e que paga muito caro por isso, irá preferir ter certeza de que o sistema de tela que ele ou ela adquiriram será capaz de reproduzir todos os formatos sem exceção!

No que toca ao HDR da Technicolor, existe uma aposta da empresa na adoção futura do formato pelos provedores de imagem, devido, segundo eles, ao relativo baixo custo operacional.

E nisso pode estar incluído o pós-processamento de imagens SDR, que seriam transmitidas em HDR, com a ajuda de metadados contidos no bitstream.

Atualmente, a disponibilidade do Advanced HDR me parece ser nenhuma. Eu pesquisei no grupo HDR do YouTube sem sucesso. Até agora, o YouTube demonstra ser capaz de rodar HDR10 e o HLG HDR em uma TV compatível. Aliás, no YouTube aparecem vídeos para demonstração de Dolby Vision e Dolby Atmos, mas nenhum deles ativa qualquer um desses dois formatos no meu display.

Em resumo, nada se sabe oficialmente quando o Advanced HDR da Technicolor estará aí para ser visto. Não acredito que esteja no esquecimento ou virado “vapourware” (equipamento ou formato que nunca se materializa), mas provavelmente estará relegado a um nicho em algum futuro próximo. Se estivesse presente certamente nenhum fabricante de TV iria negar a atualização de software.  Outrolado_

Leia também:

LFE, o canal de graves, este ainda ilustre desconhecido

 

Conhece o MQA, formato de áudio de alta resolução?

 

Apple TV 4K ganha suporte para Dolby Vision-Atmos

 

Serviços de streaming versus colecionadores de discos

 

Conectores para vídeo

 

O super heroísmo que atrapalha o cinema americano

Paulo Roberto Elias é professor e pesquisador em ciências da saúde, Mestre em Ciência (M.Sc.) pelo Departamento de Bioquímica, do Instituto de Química da UFRJ, e Ph.D. em Bioquímica, pela Cardiff University, no Reino Unido.

2 comentários sobre “Com tantos formatos, o Advanced HDR da Technicolor parece ter sido esquecido

  1. Olá Paulo
    Eu esperei pacientemente pela abordagem deste tema (de novas tecnologias nos painéis de TV nos últimos anos), pois teria um grande questionamento sobre esse assunto. Até que ponto essa propaganda da Samsung afirmando que ela seria a única que não tem o sub-pixel branco em relação as outras marcas de TV é verdade ? Como ficam os Paineis das gigantes Sony, LG, Panasonic por exemplo. Realmente os novos painéis de LED essa diferença existe e é significante ? Você já realizou alguma matéria a respeito aqui no Outrolado ?

    • Oi, Rogério,

      Anos atrás a LG cometeu um erro na construção do pixel, acrescentando um subpixel branco, que afetava a resolução. Aí a Samsung pegou uma carona nesse erro, fazendo a propaganda que você conhece. Mas, note bem: o subpixel branco foi incorporado nos modelos OLED da LG e não afeta a resolução como antes. Aliás, um mito errado sobre TVs OLED era que as telas não têm luminância adequada para HDR, o que não é verdade. Eu não sei porque as pessoas espalham este tipo de informação pela rede, mas claramente elas o fazem porque não têm responsabilidade no que divulgam. E a única forma de você se defender disso é não se fiar apenas em uma fonte de análise ou informação, ou entrar comprar o equipamento e verificar in situ.

      Eu já escrevi sobre a tecnologia OLED no passado (veja no Webinsider) e não pretendo me tornar repetitivo. Basta dizer que até o momento é a única tela com preto confiável, excelente contraste e resolução. Pode ser que ela seja superada pelos Microleds no futuro, mas ainda vai muito mais adiante. O texto sobre este último formato está aqui no Outro Lado: http://www.outrolado.com.br/2018/02/09/a-tecnologia-de-tela-de-tv-com-microleds/

      Há uma modificação pendente de estrutura de pontos quânticos (esse termo, aliás, quem traduziu primeiro fui, desculpe a falta de modéstia), e que pode afetar também o futuro das telas: http://www.outrolado.com.br/2018/01/25/pontos-quanticos-contra-atacam/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *