Motivos para assistir Outlander

Por que você deve assistir Outlander

Quatro motivos racionais para explicar porque você se engaja em uma série e não consegue parar de acompanhar.

 

A série Outlander exibida pelo Netflix possui encantos que merecem que você dê uma chance a ela. Tem romance, muita aventura, drama, violência, fatos verídicos, cenários incríveis, figurinos maravilhosos e gente linda.

Primeira coisa: se você é homem, saiba que a série é para você sim. Afinal, não é porque a história tem como âncora um romance que você não vai encontrar engajamento e identificação com os personagens.

O conjunto traz muita coisa interessante: uma história bem estruturada,em cima de fatos históricos verídicos, com fotografia e figurinos maravilhosos e, sim, dois protagonistas lindos de encher os olhos.

Eu fiz um pequeno resumo dos pontos que eu considero mais fortes para te convencer a assistir Outlander.

1. Enredo

Viajar pelo tempo, para mim, sempre foi algo instigante e que me chamou a atenção. E é exatamente o que acontece em Outlander, que conta a história da enfermeira Claire Randall que, ao viajar pela Escócia com o marido em uma segunda lua de mel, logo após a Segunda Guerra Mundial, acaba sendo transportada 200 anos no passado.

Lá, ela conhece Jamie Fraser, um highlander encantador que a protege e por quem ela se apaixona, sendo correspondida. Contudo, em uma época cheia de riscos e com muitos inimigos à espreita, o casal precisa vencer diversos desafios que colocam suas vidas em perigo. Essa é só uma pontinha do enredo de Outlander.

Não tem como não se encantar com a história de amor de Claire e Jamie e torcer para que tudo dê certo. Há também as referências histórias. Visitamos o Palácio de Versailles e participamos da Revolução Jacobina. A trama é envolvente e deixa o espectador ansiando por mais um episódio.

 

batalha de outlander

2. Fotografia e história

Imagens de tirar o fôlego, principalmente da Escócia, com seus castelos e paisagens naturais. E, apesar de ser ancorada no romance de Claire e Jamie, a série tem a parte histórica que conta como era a vida nas Highlands Escocesas, sobre os clãs, os costumes (crenças e bruxaria), a relação entre os escoceses e ingleses e claro, a parte histórica com batalhas, a causa jacobita que queria que Bonnie Prince Charlie voltasse a ser o rei.

As tropas do exército britânico, cerca de 9 mil homens, eram comandadas pelo Duque de Cumberland, conhecido pela brutalidade. A Batalha de Culloden é percebida como um desastre nacional na Escócia até hoje, pelas crueldades de Cumberlands e a subsequente destruição da velha ordem social do Highlander.

3. Protagonista feminina empoderada

A Clarie é aquela personagem que se mete nas maiores encrencas e a gente fica com aquela aflição o tempo todo e pensando: por que ela não fica na dela? No entanto, esse é com certeza um dos pontos altos do seriado.

O que me chama atenção é que ela também está sempre no centro das decisões e o Jamie, apesar de ser um homem do século 18, leva muito em consideração sua opinião, passando aquela impressão de “time”, sabe?

4. Melhor protagonista masculino

Como não se apaixonar por Jamie Fraser? Ele é alto, forte, lindo, protetor, sensível, macho na medida certa. Seu personagem passa pelas coisas mais dolorosas. É açoitado com 200 chibatadas, quase morre (muitas vezes ao longo do seriado), é estuprado, é invejado, é desejado por todos e todas.

Ele inspira tanto sentimento que homens e mulheres se apaixonam por ele. E que fique claro que não é só a beleza que evidentemente é um dos seus pontos altos. O ator que faz o Jamie, Sam Heughan é um escocês desconhecido mas que com seu papel em Outlander criou uma multidão de fãs mundo afora, inclusive essa que escreve esse texto.

Um outro ponto que chama a atenção é a trilha sonora. Como não pesquisei a fundo, deixo apenas o vídeo com o que considero uma das mais belas aberturas de seriado. Veja se essa música não arrepia.

 

 

Outrolado_

 

Por que amamos os assaltantes de “A Casa de Papel”

Como usar a letra maiúscula

Quero abrir um site mas não sei se devo

O outro lado do avesso

Viviane Danin é jornalista atuando em mídias digitais, com experiência em gestão de projetos web e estratégias de conteúdo para negócios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *