Apple TV 4K streaming device

Apple TV 4K ganha suporte para Dolby Vision-Atmos

O Apple TV 4K deverá ser o único equipamento de streaming capaz de reproduzir Dolby Vision e Dolby Atmos simultaneamente. A atualização será gratuita e deve chegar em setembro.

 

No dia 4 de junho deste ano, a Apple sediou um evento midiático, sobre a introdução do tvOS 12, nova versão do sistema operacional usado para streaming, e que introduzirá uma série de modificações de interesse da empresa, de maneira a valorizar o uso do iPhone.

Para quem não usa ou tem interesse de usar o celular da Apple, a grande e mais importante novidade no tvOS 12 é a introdução do Dolby Atmos para o Apple TV ainda este ano!

O anúncio foi feito na conferência dos desenvolvedores Apple espalhados pelo mundo todo (WWDC). Para estes foi permitida a instalação da versão beta do tvOS 12, junto com os chamados testadores beta inscritos.

O tvOS 12 está previsto para ser lançado em setembro de 2018 e atualizado gratuitamente para os usuários do Apple TV 4K, aparelho da quarta geração. A notícia tem impacto para muitos desses usuários, e a própria Dolby capitaliza a sua apresentação.

 

Dolby Atmos e Apple TV 4K

 

Se tudo correr bem, junto com a atualização do tvOS 12 os aplicativos de serviços de streaming também deverão ser atualizados, para identificarem a mudança de plataforma.

Junto com as informações do programa, o logo Dolby Vision-Atmos deverá aparecer em algum ponto da tela. Naquelas TVs com capacidade de identificar os dois codecs e mostra-los para o usuário o logo dos dois formatos deverá ser mostrado também.

 

Dolby Atmos chega ao Apple TV 4K

Quais as implicações desta mudança?

Em primeiro lugar, com esta modificação na capacidade de decodificação do seu aparelho, o Apple TV 4K deverá ser o único equipamento de streaming capaz de reproduzir os dois codecs simultaneamente, certificados pelos laboratórios Dolby.

Há algum tempo atrás, eu fiz algumas experimentações com o Apple TV, publicadas aqui na coluna. Nesta oportunidade, já tinha sido feita uma modificação importante no tvOS versão 17, com a atualização permitindo que a fonte de programa pudesse ser ajustada automaticamente em cadência, relação de aspecto e faixa dinâmica de luminosidade.

Assim, fontes HDR 10, por exemplo, passaram a ser exibidas como tal, e não como Dolby Vision.

Os testadores do tvOS versão 12 já mostram pelo YouTube que alguns parâmetros novos são novamente introduzidos na configuração do aparelho, como o ajuste de surround e do próprio Dolby Atmos.

Os serviços de streaming também deverão sofrer atualizações, de modo a reconhecer os ajustes feitos pelo usuário dentro do Apple TV. Espera-se que isto ocorra oficialmente até setembro ou antes disso, já que o sistema está em testes.

As limitações do benefício

Parece um tanto ou quanto óbvio, mas na prática não é não: não basta ter um equipamento deste tipo sem se ter uma solução técnica para reproduzir o conteúdo como desejado.

Como o Apple TV 4K só tem uma única saída HDMI a sua conexão primária tem que ser feita com um display (TV ou projetor) com capacidade nativa de reproduzir Dolby Vision e Dolby Atmos.

Nos testes que eu fiz, a conexão que eu escolhi foi diferente: em vez de ligar o Apple TV direto na TV eu fiz a conexão HDMI em um receiver Denon AVR-X7200WA, que é capaz de deixar passar incólume o sinal de vídeo HDR convencional ou Dolby Vision para a TV que aceita um desses formatos.

Como eu uso uma TV que aceita ambos, não há dificuldade alguma em reproduzir qualquer tipo de conteúdo. E como o sinal de áudio está bloqueado no setup do receiver, eu só preciso mesmo da decodificação do Dolby Atmos no meu sistema de áudio.

Notem que o Dolby Atmos é uma extensão do Dolby TrueHD e do Dolby Digital Plus, este último usado em broadcasting e pelos serviços de streaming.

Na prática, serão os decodificadores que irão ler e identificar os metadados informando que a extensão Dolby Atmos está presente. O usuário pode usar um simples Blu-Ray player para que esta extensão seja transmitida.

O player “enxerga” o codec principal (Dolby TrueHD no Blu-Ray) mas quando o sinal integral passa por HDMI o processador ou receiver lê o conteúdo completo enviado pelo bitstream, e reproduz o Dolby Atmos. É obrigatório usar uma conexão HDMI-HDMI compatível para que isso aconteça.

Por estes motivos o Apple TV terá que necessariamente obedecer aos parâmetros da reprodução do Dolby Atmos antes que o sinal chegue ao seu destino! No firmware atual o som pode ser ajustado para Dolby Digital 5.1 ou para “o melhor som possível”, o que implica na conversão do sinal de fonte para PCM 5.1.

Mas no tvOS 12 o melhor som possível é agora considerado como a transmissão do codec integral, isto é, do codec base + a extensão do mesmo. Aparentemente a conversão para PCM continua ativa, para os sistemas que não decodificam o Dolby Atmos.

Quando setembro vier

Haja paciência, e espero que quando o novo sistema operacional for liberado para atualização que os erros sejam mínimos ou corrigidos imediatamente.

O aval da Dolby para esta atualização é fundamental para não ocorram incidentes na cadeia de reprodução. É sempre bom lembrar que a censura contra cópia impõe uma linha de sinal com versão HDMI 2.0 e HDCP 2.2, caso contrário o usuário poderá (e provavelmente) não terá imagem, ou a verá convertida para um sinal abaixo do especificado.

Um detalhe que me impressiona em ocasiões como esta é a ausência da DTS no rol dos codecs usados no broadcasting, embora os seus codecs tenham sido previstos para tal. Eu pelo menos não conheço nenhum serviço de streaming que use DTS para transmitir áudio. E nem equipamentos de streaming que façam o mesmo.

Aqui cabe um detalhe técnico importante: o DTS:X trabalha exatamente como o Dolby Atmos, em termos de mixagem por objetos e como extensão do codec base, que é o DTS HD MA. Porque o DTS:X não está incluso em serviços de streaming eu não saberia dizer, mas é possível que algum fator de compressão de sinal esteja envolvido no problema, ou que os serviços de streaming não tenham chegado a um acordo comercial com a DTS.

Em termos de Dolby Atmos um dos poucos equipamentos de streaming atualmente capaz de reproduzi-lo é o Shield da Nvidia, aparelho bem mais caro do que a concorrência. Mas, em contrapartida, o Shield não é capaz de reproduzir conteúdo com Dolby Vision, deixando então o caminho aberto para o Apple TV.

Finalmente, na minha opinião o Dolby Vision é interessante sim mas os outros formatos de HDR funcionam muito bem. A combinação Dolby Vision com Dolby Atmos é de fato interessante, mas tudo irá depender do que é oferecido em mixagem nativa, e não somente do áudio convencional submetido a um upmixing.

O meu atual receiver faz isso e os resultados são variáveis, indo do bom ao indiferente! A questão permanece aberta no tocante à mixagem dos seriados para TV, que são notoriamente inferiores àqueles realizados no cinema.

 

Outrolado_

Media players para uso em home theaters

O nascimento, vida e morte da fita cassete

Serviços de streaming versus colecionadores de discos

Oppo Digital vai parar de fabricar reprodutores de mesa

Paulo Roberto Elias é professor e pesquisador em ciências da saúde, Mestre em Ciência (M.Sc.) pelo Departamento de Bioquímica, do Instituto de Química da UFRJ, e Ph.D. em Bioquímica, pela Cardiff University, no Reino Unido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *