Sobre o uso de maísculas em sites de conteúdo

Como usar a letra maiúscula

Um dos erros mais comuns encontrados em portais corporativos é o uso inadequado da letra maiúscula. Veja como fugir da síndrome da caixa alta no seu site.

 

Você sabia que a letra maiúscula deve ser usada basicamente para assinalar o início do período (em oposição ao ponto final, que o encerra) e antes de nome ou substantivo próprio?

É muito comum encontrar em portais corporativos o uso excessivo de títulos de textos em caixa alta e baixa. Exemplo fictício:

Termo de Compromisso para Clientes e Fornecedores.

Por que compromisso, clientes e fornecedores devem ter caixa alta? Para parecer mais pomposo? Não é necessário.

Este hábito é tomado emprestado de publicações estrangeiras, de títulos de filmes e por aí vai.

Uso de maísculas no New York Times

O jornal New York Times tem por tradição escrever os títulos de notícias e artigos em caixa alta e baixa

Alguns jornais internacionais usam, como o New York Times.

Ok, mas não precisamos segui-los, pois outros sites como BBC, El Pais, The Guardian, Le Monde, O Globo, Folha de São Paulo e UOL não usam o pula pula de frases em caixa alta e baixa, que são desconfortáveis para o leitor como uma estrada esburacada.

Nos sites de empresas o uso de caixa alta e baixa em excesso transmite um certo ar de burocracia e formalidade corporativa.

É importante também evitar o uso indiscriminado da maiúsculas em palavras e frases inteiras, pois transmitem uma impressão de GRITO. Além de gramaticalmente questionável, não é nada elegante.

É muito comum encontrar em portais corporativos o nome das empresas escrito em caixa alta, como  SEBRAE e  PETROBRAS, por exemplo. É um hábito a ser combatido, pois contraria a própria comunicação dessas empresas, que  se apresentam como Sebrae e Petrobras há décadas.

 

Vamos esclarecer com exemplos

Escreva com todas as letras maiúsculas:

  • siglas com até três letras: PF, BC, ONU, OAB, ILB, DRU, CPI, USP
  • siglas cujas letras são soletradas: BNDES, INSS, CPMF, CPMI, DNER

Use apenas a inicial maiúscula:

  • quando a sigla tiver mais de três letras e for pronunciada como palavra: Secom, Seep, Sepop, Comap, Detran, Denatran, Petrobras, Embrapa, Unesco

Uso misto:

  • siglas com formação mista, isto é, quando parte da sigla for soletrada e parte for pronunciada como palavra: as letras soletradas ficam em caixa alta e a parte que é pronunciável fica em caixa baixa: Dger, Hran, Cnen, Cfem

Algumas siglas fogem às regras. Respeite a forma consagrada em casos como UnB, ProJovem, LexML, ICMBio, CNPq, ProInfo, MoMA, DPVAT.

Maiúscula depois dos dois pontos?

Outro erro comum, é usar maiúscula depois de dois pontos. Os dois pontos não encerram a frase e a maiúscula só deve ser usada nos casos em que a palavra após o ponto for um nome próprio.

Exemplo: “O contexto do ensino superior brasileiro apresenta, entre outras, as seguintes grandes tendências: expansão acelerada e interiorização de ensino superior, consolidação da pós-graduação e melhoria da qualificação do corpo docente.”

Veja outros exemplos em que se deve usar a letra maiúscula:

    • Datas oficiais e nomes de fatos ou épocas históricas, de festas religiosas, de atos solenes e de grandes empreendimentos públicos ou institucionais.
    • Nos títulos de livros, teses, dissertações, monografias, jornais, revistas, artigos, filmes, peças, músicas, telas, etc.
    • Nos nomes dos pontos cardeais e dos colaterais quando indicam as grandes regiões do Brasil e do mundo.
    • Nos nomes de leis, decretos, atos ou diplomas oficiais.
    • Em todos os elementos de um nome próprio composto, unidos por hífen.
    • Nos nomes de eventos (cursos, palestras, conferências, simpósios, feiras, festas, exposições, etc.).
    • Nos nomes de diversos setores de uma administração ou instituição.
    • Nos nomes comuns, quando personificados ou individualizados.
    •  Nos pronomes de tratamento e nas suas abreviaturas.
    • Nos acidentes geográficos e sua denominação.
    • Nos nomes de logradouros públicos (avenida, ruas, travessas, praças, pontes, viadutos).

Fora os exemplos usados acima, o resto é tudo em caixa baixa, estamos combinados?

Esse é um exemplo de conteúdo que deve constar no manual de redação da sua empresa e nossa equipe do Outrolado_ pode te ajudar nesse trabalho. Vamos bater um papo?

Viviane Danin é jornalista atuando em mídias digitais, com experiência em gestão de projetos web e estratégias de conteúdo para negócios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *